quarta-feira, 15 de julho de 2009

Pega, não pega!!

Eu acho que o que me motivou para recriar um blog foi essa situação que passei no último sábado dia 11 e que eu tinha que contar por aqui.

Todos os meus sábados agora eu tiro uma grana extra trabalhando de garçom em um Buffet aqui próximo da minha casa. Foi justamente voltando de lá, mais ou menos umas duas horas da manhã, que me ocorreu o inesperado. Eu já estava chegando em casa, faltava uns 3 quarteirões aproximadamente. Quando dobrei a esquina observo que chega pelo outro lado 2 homens em uma moto e outro homem sozinho em outra moto. Já comecei a pensar comigo: Pronto! É agora que perdi meu celular (de “valor” só havia mesmo meu celular e olha que tem que ser escrito a palavra valor entre aspas mesmo porque se for avaliar o pobrezinho não deve está custando nem 30 reais). Continuei minha caminhada rumo à minha casa, quando acontece o “esperado”. As duas motos vão parando no meio da rua bem devagarinho. Os três olham para mim, mas não esboçam nada, nem anunciam assalto, nem mostram uma arma, somente ficam me olhando. Tirando coragem não sei de onde, eu olho pra eles e pergunto atrevidamente: “Sim. O quê que foi??”. Os dois que estavam juntos em uma moto fazem um pequeno retorno e encostam na calçada ficando no sentido contrário ao que eu estava indo. Como se diz em bom Cearês, eu não contei pipoco e meti o pé na carreira. A carreira foi tão grande que só vinha na mente a imagem de uma avestruz correndo feito uma desesperada naquelas corridas de avestruz que passam na televisão. Esse era eu. Corria pela calçada quando o outro que estava sozinho na outra moto saiu em minha perseguição. Ele na rua. Eu na calçada, desesperado. Ele poderia pensar que nessa corrida estava em vantagem por estar em uma moto, porém ele não imaginava que naquela hora iria baixar o espírito do Pelé em minha pessoa.
Foi quando ele passou pela minha frente subindo a calçada com moto e tudo pra tentar me fechar que eu dei um drible tão rápido (coisa que eu não sei fazer nem jogando bola) e passei por trás dele. Pensei que ele fosse se estabacar no portão da casa da mulher. Continuei correndo, só que agora no meio da rua. Ele não ficou satisfeito com o drible que levou e desceu a calçada com todo o gás pra tentar me pegar mais na frente, foi quando baixou o Romário em mim.
Ele passou na minha frente tentando me fechar mais uma vez, só que dessa vez ele veio mais perto, e o que foi que eu fiz? Vocês lembram do gol que o Branco fez na Copa de 94? Aquele contra a Holanda nas quartas de final que desempatou o jogo e levou o Brasil pra jogar contra a Suécia? Lembram não? Aff! Aquele em que o Branco vai bater uma falta e chuta uma bomba, a bola só passou pelo Romário no meio do caminho porque ele se entortou todinho pra bola não pegar nele, foi bater lá no cantinho da trave e entrou no gol. Um golaço!
Pois bem, foi o que eu fiz só que ao invés de fazer como o Romário, se curvando pra frente pra bola passar por trás, eu me curvei todinho pra trás pra moto do cara não bater em mim. Só que depois desse outro drible de corpo eu não gritei Gol assim como fez o Romário. Gritei foi: Socorro!! Alguém me ajuda!! Socorro!! Parecia um louco aos berros no meio da rua em plena duas horas da madrugada. Quando olhei pra trás vi que eles se assustaram com meus gritos e foram embora. Devem ter ficado com medo de alguém sair na rua, já que naquele horário não havia nem barulho de grilo e nem uma alma viva no meio da rua.
Continuei minha caminhada com o coração quase saindo pela boca, não só pelo susto, mas pelo grande esforço que fiz nessa correria toda. É óbvio que não fui direto pra casa, eles poderiam estar me seguindo de longe, sei lá, nunca se sabe. Fiquei fazendo hora por perto de casa e quando tive realmente a certeza de que não havia mais ninguém nas proximidades foi que entrei em casa.

Ufa!


Vídeo do gol do Branco, no final você vê o lance do Romário:

4 comentários:

Isolda Herculano disse...

Fael, bem vindo ao blogspot, cara. Sabe, eu era muito apegada ao blog na Globo... mas, como você, passei por poucas e boas lá. O desapego é um difícil exercício, tive que mentalizar – já que eles, pelo menos, não cancelaram minha conta. E digo mais: foi uma decisão das mais acertadas, viu? Boa sorte para você por aqui também, na outra casa com cheirinho de coisa nova.

Abraço.
Isolda.

p.s.: e vê se carrega sua arte de driblar para o campo, rapaz... esse negócio de dar ‘carreira’ de ladrão, às vezes, pode falhar. Olha o filho pra criar! (Risos)

Tatyana França disse...

rafix, meu filho, vou te dizer... acho que esses caras não queriam te roubar. eles viram sua pinta de galã cearense e queriam mesmo era te co... ! (posso falar essas coisas aqui? kkk).

:p

macho, essa sua carreira foi heróica! merecia o prêmio de melhor fuga sem veículo motorizado do ano de 2009!

Espião disse...

Sai, sai, sai, saaaaaiiii que é tua Rafael!!

Hannah disse...

kkkkkkkkkk! Por isso que eu digo: Deus está sempre ao lado da criança, do bêbado e do doido!